TST decide, na segunda-feira, processo do dissídio coletivo do setor hoteleiro


O presidente do SindHoteleiros, Leandro Lucas, participa na próxima segunda-feira (13), às 14 horas, de audiência no Tribunal Superior do Trabalho (TST), em Brasília, que julgará o processo do dissídio coletivo de 2015/2016 da categoria. O processo se arrasta desde o ano passado já que o setor patronal ingressou com recurso. O SindHoteleiros conquistou, em decisão do Tribunal Regional do Trabalho de Campinas, aumento salarial de 9%, adicional de Quebra de Caixa, Auxilio Creche, entre outros benefícios para a categoria (Processo n. 0005864-55.2015.5.15.0000 SDC TRT 15a Região). “Agora é a última decisão. Estamos bem esperançosos. Eles haviam conseguido uma liminar e agora é a decisão final. Vamos participar e na segunda-feira à noite, na nossa assembleia e festa junina já informar os nossos associados”, afirmou o presidente.Os pisos da categoria, que não eram reajustados há vários anos, ficaram da seguinte forma, após decisão no TRT, de Campinas:

a) cozinheiro e maitre: R$ 1.819,50;
b) pizzaiolo, churrasqueiro e recepcionista: R$ 1.455,60;
c) camareira, mensageiro e garçom: R$ 1.310,05.
d) piso normativo geral : R$ 1.110,00

O presidente do SindHoteleiros espera que o TST haja com bom senso. “Há vários anos os trabalhadores da nossa região não recebiam um reajuste salarial, um benefício. O que se espera que eles tenham bom senso agora”.